Minha reflexão sobre os últimos acontecimentos midiáticos.

Fragmento de Cruz e Sousa

Sobre um mundo emparedado, medíocre nos seus fundamentos  e na essência.

Ah¡ bendito os reveladores da Dor infinita

Ah¡ soberanos e invulneráveis aqueles que, na arte,

nesse extremo requinte de volúpia,

sabem transcendentalizar a Dor,

tirar da Dor a grande significação eloquente

e não amesquinhá-la e desvirgina-la

 A verdadeira,  a suprema força da arte

está em caminhar firme, resoluto. Inabalável,

sereno através de toda a perturbação e confusão ambiente,

isolado do mundo mental criado,

assinalando com intensidade e eloquência o mistério,

a predestinação do temperamento.

 É preciso fechar com Indiferença os ouvidos

aos rumores confusos atropelantes

e engolfar a alma, com ardente paixão

e fé concentrada, em tudo o que se sente e pensa

com sinceridade, por mais violenta,

obscura ou escandalosa que esta sinceridade

á primeira vista pareça, por mais longe

das normas preestabelecidas que a julguem, – para então assim mais devidamente estrelar os infinitos da grande arte,

da grande arte que é só, solitária,

desacompanhada das turbas que chasqueiam,

da matéria humana doente que convulsiona

dentro das estreitezas asfixiantes do seu caracol

 Cruz e Sousa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: