Todo Nordeste costurado em mim.

O compositor Belchior, canta numa canção – o Nordeste não existe é pura ficção. Uma bela composição, pouco conhecida do grande público. Confesso, este verso sempre me causou curiosidade. De certa maneira, sempre li com um espanto. Mas é notório constatar, quando um individuo, um artista ou um pesquisador, adentra o universo nordestino, vai tendo sensações curiosas,  o espanto segue desde a admiraçao à fronteira do sentido. 

O espanto salta aos olhos, o encantamento se decanta em vida, talvez, por causa da grandeza, da infinidade de lendas, muita historia proferida por cantadores e a complexidade cultural dessa gente.

Por lado, é curioso como as distorções sociais convivem com um povo tão generoso, de espírito tão hospitaleiro e alma imensamente criativa.

Durante as ultimas semanas do mês de agosto, tive a felicidade de me garimpar por terras nordestinas, mais uma vez, fui buscar o que há de mais Severino em mim, compreender toda Severinização que me povoa e me acentua.

Viajei por 10 dias, pelo Nordeste do Brasil, entre as capitais nordestinas numa travessia por: Natal, Recife, João Pessoa e Fortaleza, migrando para o Sertão e pelo Litoral, numa convivência intensa com a cultura, e as pessoas desse Brasil nordestinado. realizei visitas a projetos culturais e de educação integrada. Foi uma vivência inusitada e arrebatadora, simplesmente uma experiência de vida e arte.

Vi homens e mulheres que parece personagem da literatura e do cinema, creio que foi a literatura e a sétima arte que se apoiou nessas criaturas, para enriquecer nosso imaginário poético, sobretudo, criador. Visitei paisagens de cartão postal,

Mares que passam em reportagens turísticas pela TV e ilustram as revistas que entretém escritórios e sonhamos abordo de aviões.

Convivi com criadores que me olharam bem nos olhos.

Homens criadores, pensadores de novos mundos. Crianças protagonistas que revelam signos de vida. E vi a vida como ela é parafraseando Nelson Rodrigues.

Vi crianças brincando de viver, vaqueiros, artesões, artistas populares, escolas de circo, ballet, dança contemporânea e Pescadores, jogando a rede no mar, trazendo toda fantasia de um tempo vivo.

Costurei sonhos, andei pelo sonho, visitei sonhos alheios.

Fiquei perplexo, procurei ver nexo em tudo que atravessava os olhos, cambaleava em perspectivas, tentei decifrar a escrita em pedras, entender rostos, olhares sábios. Parece que o tempo ali é mais velho.Guarda lembranças ou memória de um tempo mítico.

Pressenti uma nova existência dentro do real, nasciam para fora de meus olhos, outras sensações e motivos de viver.

Tudo refletiu no caminho das águas, nas trincheiras da fé e nas pedras do meu corpo, juntei meus pedaços, reuni minhas fronteiras, recolhi os retalhos de vida. Tentei me reerguer no circo Piolin, ri de minha meninice, visitei João pessoa como se fosse um turista. Banhei apenas os olhos no Miramar nas alturas. fui a praia do Jacaré. Dancei do Bolero de Ravel ao brega, fiquei com as pastorinhas de Ponta Negra.

No cariri, com Seu Expedito Celeiro, designer do sertão, artesão e profeta de Nova Olinda, eu celei o meu cavalo, solicitei um calçado novo, segui pisando firme com o pé protegido, a alma leve, como um cangaceiro que vai ao baile perfumado. O meu pé ficou belo,  o espírito verde.

Percorreram meus caminhos, homens sábios, pessoas sabidas, gente humilde, abraçaram-me e me deram a mão, lábios enrugados me deram a benção. Abençoado, peregrinei trechos, vi a profundidade do horizonte por terras secas, bebi olhos úmidos, comi um pôr-do-sol pelos poros que alimentou a poesia, a musica dançou no horizonte. De mãos dadas, eu comigo mesmo, refleti sobre o ser e tão profundo foi o meu mergulho, que vi: homens do mar, seres anfíbios. Senti correntes marítimas, ventos quentes em pleno sertão. Um céu azul que parecia o mar de Iemanjá.

O mar do sertão não enjoa. Entoa novos sentidos.  Todo choro foi pouco e toda felicidade é pequena.

2 Respostas para “Todo Nordeste costurado em mim.”

  1. Só olhos que fabricam esperança podem vivênciar ‘ olhares ‘ a humanidade é muito curiosa e é muito confortante ter alguém que se propoe a abraçar essa juvialidade e tornar algo distante em esperança e Fé! Parabens querido Deus te fez especial portanto cuide que seu caminho seja sempre Bom! bjinhu no coração Rita Assumpção!

  2. João Everton da Cruz Says:

    Como bem disse um outro sertanejo, de outras bandas, Guimarães Rosa, sertão é quando o pensamento da gente se torna mais forte do que o poder do lugar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: