Babilak Bah & Enxadario: Orquestra de Enxadas na abertura da Copa das Confederações.

foto

Babilak Bah & Enxadario: Orquestra de Enxadas 

na abertura da Copa das Confederações.

Escreveu Tárik de Souza no jornal O Globo que “Depois dos pratos & facas e caixas de fósforos dos sambistas, das queixadas de burro incorporadas à percussão por Airto Moreira, das panelas cheias de pedras e naipe de garrafas de Hermeto Pascoal (que também usou porcos e galinhas), dos tubos de PVC do Uakti (discípulo do inventor Walter Smetak), das descargas de automóvel de Rogério Duprat, das enceradeiras de Tom Zé, do chaveiro de Orlan Divo, mais um instrumento cotidiano incorpora-se à música deste país polifônico: as enxadas de Babilak Bah”.

Criador compulsivo e dono do que se pode chamar de “teimosia artística”, Bah se autodenomina mais um “propositor” do que um compositor, certo de que o que norteia o seu fazer artístico em mais de 20 anos de carreira é a persistência de construir um trabalho autoral, singular, sublinhado por sua biografia e identidade.

Artista do ruído, Babilak vem de forma sistemática afirmando-se como um criador de situações sonoras, um propositor por excelência, autodidata, poeta e arte-educador. Em 2000 o artista concebeu e criou o “Enxadário: Orquestra de Enxadas”, através de experimentações sonoras que explorava os timbres desse instrumento até então utilizado como ferramenta de trabalho.

Dando sequencia ao seu projeto estético, Bah retoma a sua criação mais inovadora convidando o pùblico de Belo Horizonte para prestigiar a abertura da Copa das Confederações: o “Enxadario: Orquestra de Enxadas” conduzido por seu idealizador executarão de maneira inédita e inusitada o Hino Nacional Brasileiro e o Trenzinho Caipira do compositor Villa Lobos com criatividade e irreverência; usando a enxada como ícone da proposta musical.

O “Enxadario: Orquestra de Enxadas” tem em sua formação os músicos: Johnny Herno (percussão, enxadas e efeitos), Gladson Braga (Marimba de enxadas acústica, pandeiro e caixa de folia), Leonardo Brasilino (Trombone e direção musical), Thiago de Melo (baixo acústico e enxadas) Álvaro Freitas ( Enxadofone-um tipo de marimba de enxadas eletrônica), Markus Cupertino (bateria e enxadas) Almin de Oliveira (Enxadas e congas). Além dos instrumentos tradicionais, serão usadas na performance algumas novidades criadas no projeto “Enxadigma: pesquisa e construção de instrumentos” com destaque para o Marimbau Eletrônico, que, conforme definição do músico, é uma “evolução luxuosa da sua Berimbacia”. O Marimbau foi criado por Waldo Lima do Vale, especialmente para Babilak.

Sobre o artista –

Nascido na Paraíba e radicado há mais de 20 anos em Belo Horizonte Babilak está sempre em busca de se reinventar. No momento, dedica-se a criação de esculturas sonoras utilizando o objeto enxada como signo de sua linguagem-plástica-sonora, trabalhando o aspecto de musica expandida e prepara uma instalação multimidia: “Canto de vida, ruído de trabalho e canto de morte.

Nesta exposição denuncia o genocídio de trabalhadores rurais.

Bah já participou nos mais importante eventos de musica do Brasil: Pixinguinha/Ministério da Cultura, Rumos Itaú Cultural e foi destaque no Festival Espírito Mundo levando sua sonoridade por cidades da França, Espanha e Inglaterra.

Data: 15 de junho de 2013

Horário: 15hs50

Local: Praça da Estação- Belo Horizonte – MG

Contatos: 31- 99139650

babilakbah@gmail.com

https://babilakbah.wordpress.com

Foto: Amazonita Agata.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: