Os tambores tocam por causa do amor, da fé e da liberdade. Viva o Afoxé Bandarerê.

Os tambores tocam por causa do amor, da fé e da liberdade. Viva o Afoxé Bandarerê.

020320141620

 Quando os tambores tocam: eles tocam por causa do amor, da fé e da liberdade, foi exatamente o que aconteceu hoje na comunidade da Concórdia um dos bairros mais antigos da cidade de Belo Horizonte, situado na região nordeste. Segundo dados históricos a comunidade foi sendo ocupado a partir da década de 1920 por famílias remanejadas da região da Praça Raul Soares. Trata-se de um dos primeiros bairros operários da capital. Hoje quem estava na saída do Afoxé Bandarerê presenciou um hibridismo de carnaval, militância politica e afirmação religiosa.

O afoxé percorreu pelo bairro fazendo uma homenagem em muitas esquinas  próximas a residência de algumas personalidades religiosas do bairro vivas e já falecidas que mantiveram a tradição circulando na memoria da comunidade, sobretudo os cultos do orixás na capital. Um momento marcantes foi quando o Afoxé parou enfrente ao primeiro candomblé de Belo Horizonte.

O passeio do Afoxé Bamdarerê pelo bairro da Concordia além de proporcionar um belíssimo carnaval também teve um caráter didático no qual o mestre de cerimonia ia parando próximo ou enfrente alguns terreiros de candomblé ou casa de mãe de santos e pai santos, esclarecendo a comunidade da importância desses personagem para o tempo atuais.

A festa ou seja o candomblé de rua pelas principais ruas do bairro aconteceu em plena paz, com responsabilidade, amor e cumplicidade por todos que ali fizeram-se presente na tarde de hoje, teve seu encerramento debaixo de uma maravilhosa chuva que veio celebrar um instante de magia, tradição e resistência com muito samba de roda e esperança renovada.

Por fim, quem viu, dançou, ficou intensamente emocionado, teve a oportunidade de celebrar a força do povo de terreiro, a resistência do povo negro. Quem não viu apenas recebem o seu axé que ainda ecoa pelo ares de Belo Horizonte que desconhece e ignora a historia desse povo.

O axé vive.

020320141617 Babilak Bah.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: