Archive for the Corpoletrado Category

Mapa de luz

Posted in Corpoletrado on junho 25, 2015 by babilakbah

vamos adequar a luz com as condições do teatro locado

mapa de palco

Posted in Corpoletrado on junho 25, 2015 by babilakbah

DSCN2871

Rider do corpoletrado

Posted in Corpoletrado on junho 25, 2015 by babilakbah

A IMPUT Babilak BAH CORPOLETRADO cópia

Corpoletrado na Mídia.

Posted in Corpoletrado on junho 25, 2015 by babilakbah

A performance Corpoletrado circulando.

11393419_894616657264959_9006620670537985487_o bah2 DSCN8509

http://www.ufsj.edu.br/noticias_ler.php?codigo_noticia=2645

Em Divinópolis a performance Corpoletrado.

_PLF7697

quartamix1

Babilak Bah etc… & tal.

Posted in Corpoletrado on maio 3, 2015 by babilakbah

72682_449290818472919_1095081471_n 842877_581978521831001_837069725_o858695_581978431831010_1205388442_o 859894_581978385164348_1404221908_o 860792_581978665164320_1141258701_o 861148_581978441831009_182878416_o 861198_581979081830945_1867318676_o

Durante o mês de fevereiro de 2013, procurei unificar a minha produção artística, envolvendo o trabalho como musico, poeta e arte-educador; numa ocupação na Casa Una de Cultura-Bh, exibindo um conjunto de expressividade criativa, no intuito, de proliferar a minha voz poética no horizonte da cidade. Com isto, propus, um desdobramentos de sentidos, numa dispersão unificada como objeto de linguagem para ser degustado, devorado, lido, vivido, assistido e ouvido, atravessado por múltiplas maneiras significativas de pensar o fenômeno inventivo e a fragilidade do humano.

Na ocupação cultural, ofereci duas oficinas: Do ritmo à palavra, depois, Palavra no Corpo da Cidade, um show musical baseado no CD: Biografia de Homens Inquietos, uma performance tendo como tema o livro: Corpoletrado e uma exposição intitulada: A Pele Exposta.

Eis, aqui alguns momentos da exposição.

Babilak Bah.

O Corpoletrado no Instituto Yorubá

Posted in Corpoletrado on março 31, 2015 by babilakbah

O Corpoletrado de Babilak Bah no Instituto Yorubá
11070895_946324792065926_6375862181545408543_n
Corpoletrado é o segundo livro de poemas do multi-artista Babilak Bah. Trata-se de uma obra multimídia que vem encartado um DVD. O mesmo migrou para outros suportes e linguagens, desde então, passa por um processo de hibridização, de metamorfose, de atualização, tornando-se uma exposição, oficina e performance. Corpoletrado emigra para o universo da performance contextualizando uma transgreção de sentidos sobretudo numa poética aberta, uma maneira espontãnea de improvisar e interagir com inúmeros signos, desta forma, estabelece outras significaçôes num diálogo com som, sentido, corpo, movimento e letra. O Corpoletradoum projeto poético que tem como premissa trabalharcom várias linguagens na interlorcuçãoentre corpo e signo lingüístico;somado a diversas expressões artísticas,em conexão com a palavra em seu sentido narrative, aspectos visuaiscom a interferência da música, ruídos, sons eletrônicos e projeçôes de imagens; ainda conta com um filme documentário em formato digital intitulado de Curacões.
No palco, o corpo do poeta é oferecido como iguaria rara.Em um contexto performático segue como uma constelação de silabase sua voz grita em carne crua murmurando o que o pelo revela: O osso da civilização. O poeta empresta sua voz em buca de sentido entre o grotesco e o sublime numa coreografia que joga com fonemas, sons numa conversa marcada pelo hibridismo que promove inúmeras significações tecendo um discurso desdobrado que perpassa o corpo e a letra, ou seja, a poesia estampada no corpo e na fala do poeta.
O artista já apresentou a performance nos Festival de Inverno de São Del Rey. Divinópolis e Sete Lagoas. Esteve no encontro Portuguesia: Minas entre os povos da mesma língua, antropologia de uma poética, produzido pelo poeta Wilmar Silva. Apresentou-se no Terças Poéticas no Palácio das Artes. No Sesc Palladium no projeto Quarta Mix. No Rio de Janeiro pelo projeto Pelada poética que tem a coordenação artística do ator Eduardo Tornaghi. No Centro Cultural Casa Una de Cultura numa ocupação intitulada: A Pele Exposta de Babilak Bah em 2013. Na UFBA no auditório do IHAC numa conversa performática sob o seu processo de criação a convite da professora de literatura Brasileira Contemporânea, Eliana Mara Chiossi. Na UNB no encontro de estudantes de literatura latinos americanos.
Atualmente divulgar o seu recente trabalho o DVD: Afroprogressivo e organiza uma exposição Enxadigma: som de vida, ruído de trabalho e canto de morte.

Concepção e Direçåo: Babilak Bah
Elenco: Babilak Bah.

Repertorio

(1 parte) – poética sonora

Tem inicio o poeta saindo por trás da plateia fazendo um canto de início usando o enxadigma – passo entre as pessoas.
Ate chegar no centro do palco.

O berimboca

A) – Berimboca

b) – Opera de sapos

c) – Berimbacia

Pare 2

Utilização da palavra como recurso sonoro e rítmico

1) – Quanto é que vale a sua pele?
2) – Versos gritam em carne crua
3) – Marimbau
4) – O corpo não mente
5) – Piso em pregos
6) – palavra 100 pé
7 – Vou vender a pele num ritual de antropofagia
8) – Signos encravado na pele
9) -Trem10 humanos (tocando com a berimbacia)
10 – Apresenta o livro Corpoletrado
Corro feito um cachorro louco
Faço poema
11) – Urucumnacara na cara
12) – Biografia de homens inquietos.
13) – zumbi prometeu

Sai tocando enxada:
Eu vou me embora
porque mandaram me chamar

Babilak Bah
Foto: Ricardo Laf

O Corpoletrado de Babilak Bah no Instituto Yorubá.

Posted in Corpoletrado on março 25, 2015 by babilakbah

O Corpoletrado de Babilak Bah no Instituto Yurubá.

a palavra no corpo

Corpoletrado é o segundo livro de poemas do multi-artista Babilak Bah. Trata-se de uma obra multimídia que vem encartado um DVD. O mesmo migrou para outros suportes e linguagens, desde então, passa por um processo de hibridização, de metamorfose, de atualização, tornando-se uma exposição, oficina e performance. Corpoletrado emigra para o universo da performance contextualizando uma transgreção de sentidos sobretudo numa poética aberta, uma maneira espontãnea de improvisar e interagir com inúmeros signos, desta forma, estabelece outras significaçôes num diálogo com som, sentido, corpo, movimento e letra. O Corpoletrado
um projeto poético que tem como premissa trabalhar
com várias linguagens na interlorcução
entre corpo e signo lingüístico;
somado a diversas expressões artísticas,
em conexão com a palavra em seu sentido narrative, aspectos visuais
com a interferência da música, ruídos, sons eletrônicos e projeçôes de imagens; ainda conta com um filme documentário em formato digital intitulado de Curacões.

No palco, o corpo do poeta é oferecido como iguaria rara.
Em um contexto performático segue como uma constelação de silabas
e sua voz grita em carne crua murmurando o que o pelo revela: O osso da civilização.
 O poeta empresta sua voz em buca de sentido entre o grotesco e o sublime numa coreografia que joga com fonemas, sons numa conversa marcada pelo hibridismo que promove inúmeras significações tecendo um discurso desdobrado que perpassa o corpo e a letra, ou seja, a poesia estampada no corpo e na fala do poeta.

O artista já apresentou a performance nos Festival de Inverno de São Del Rey. Divinópolis e Sete Lagoas. Esteve no encontro Portuguesia: Minas entre os povos da mesma língua, antropologia de uma poética, produzido pelo poeta Wilmar Silva. Apresentou-se no Terças Poéticas no Palácio das Artes. No Sesc Palladium no projeto Quarta Mix. No Rio de Janeiro pelo projeto Pelada poética que tem a coordenação artística do ator Eduardo Tornaghi. No Centro Cultural Casa Una de Cultura numa ocupação intitulada: A Pele Exposta de Babilak Bah em 2013. Na UFBA no auditório do IHAC numa conversa performática sob o seu processo de criação a convite da professora de literatura Brasileira Contemporânea, Eliana Mara Chiossi. Na UNB no encontro de estudantes de literatura latinos americanos.

Atualmente divulgar o seu recente trabalho o DVD: Afroprogressivo e organiza uma exposição Enxadigma: som de vida, ruído de trabalho e canto de morte.

Este final de semana Babilak Bah realiza a performance Corpoletrado no Instituto Yorubá abrindo a programação anual do instituto. A performance acontece integrando o evento: Encontro na Veia lírica. É um Sarau aberto a todas manifestações das Artes, que vem acontece já há dois anos

Como chegar: endereço: Rua Cambukira, 178/Carlos Prates. Belo Horizonte – MG.

Horário 21 horas.

Concepção e Direçåo: Babilak Bah

Elenco: Babilak Bah.

Apoio técnico. Almin de Oliveira.

Poemas visuais

Posted in Corpoletrado on novembro 23, 2013 by babilakbah

DSC00011DSC00010DSC00009DSC00008DSC00007DSC00006DSC00005DSC00004DSC00003DSC00002DSC00001-dDSC00001-bDSC00041DSC00013DSC00012DSC00016DSC00015DSC00020DSC00019Estes poemas compõe o livro CORPOLETRADO.

Metalinguagem da pele

Posted in Corpoletrado on outubro 28, 2012 by babilakbah

Metalinguagem da pele

O corpo constelação de sílabas

Alfabeto de carne e sangue

Fonemas de ossos,

distribuídos em símbolos

Metalinguagem da pele

Sob o suor da palavra

Na metáfora dos poros

Parágrafo nos músculos

Morfologia dos cabelos

Hipertexto

Letra falante vírgula nos pés

Aspas no coração sem parêntesis

Um verso metrificado

Semiótica dos ouvidos
 de grafismos vesgos

Espinha dorsal do verbo

O corpo dicionário de gestos

Aberto à sonoridade dos olhos

Delicatessem

Posted in Corpoletrado on outubro 15, 2012 by babilakbah
Do livro CORPOLETRADO.Delicatessem.

Carne de poeta, iguaria rara…

Guardada em conserva
Filé mignon de biblioteca
Servida em sopa de letras
Sobremesa de vários sabores
Auxilia na aprendizagem da pele
Fortalece a língua,amplia a visão
Riquíssima em ferro, vitamina C
Tonifica a auto-estima de anêmicos
Melhora a formação dos dentes
A fragilidade dos olhos
Combate os males dos rins
Ajuda a cicatrizar ferimentos
Evita hemorragias e ignorâncias
Sem nenhuma contra-indicação
Embalado à vácuo
Encontra-se em comprimido
Famácia e delicatessemBabilak Bah